Santa Catarina é um Estado único e rico em cultura, graças a herança de seus colonizadores. A população catarinense foi formada por povos de diversas etnias e chegou a vez de falarmos um pouco mais sobre a etnia africana.

Você acompanhou nossas postagens sobre as etnias alemã e italiana? Não deixe de conferir!

E então, vamos juntos saber um pouco mais sobre a etnia africana?

 

Colonização

Os negros participaram da formação do povo catarinense desde os primeiros povoados e contribuíram, desde o princípio, para a evolução econômica da região, por exemplo, como tropeiros, vaqueiros, mineiros, trabalharam na lavoura, na pesca da baleia, na construção de estradas de ferro e em afazeres domésticos.

A presença do negro em Santa Catarina é resultante de um processo de escravidão ou de movimentos migratórios, principalmente no período pós Guerra do Paraguai. A migração dos negros, depois da abolição da escravatura, deu-se em função da tentativa de mudança, obtenção de terras agricultáveis e, mais tarde, com a descoberta do carvão, o trabalho de extração nas minas.

Embora a presença africana tenha sido menos numerosa em Santa Catarina, se comparada ao restante do país, deixou suas influências na cultura como na religião: candomblé e umbanda; danças e músicas: capoeira, maxixe, samba, choro, bossa nova e na culinária: vatapá, caruru, acarajé entre outros.

 

Gastronomia

Na gastronomia, a etnia africana é digna de aplausos. Os pratos são únicos e irresistíveis, feitos a partir de alimentos essencialmente particulares de sua cultura local, como os legumes, frutas, carnes e grãos.

O milho, a mandioca e as nozes são as principais fontes de preparação das refeições, sejam elas doces ou salgadas. Também não pode faltar o famoso óleo de dendê, o leite de coco e a noz moscada, produtos típicos africanos.

A mandioca é vista com elemento primordial na África Central, motivo de pratos muito saborosos e altamente nutritivos. E é a mandioca que será a protagonista da receita que separamos para você colocar a mão na massa e vivenciar um pouco da cultura da etnia africana: bobó de camarão. Confira:

Bobó de Camarão

Ingredientes

1 kg de camarão fresco

Sal

3 dentes de alho picados e amassados

Suco de 1 limão

Pimenta-do-reino

1 kg de mandioca

3 cebolas (1 cortada em rodelas e 2 raladas)

1 folha de louro

6 colheres (sopa) de azeite de oliva

2 vidros de leite de coco

1 maço de cheiro-verde picado

2 latas de molho pronto de tomate

2 pimentões verdes bem picadinhos

2 colheres (sopa) de azeite de dendê

 

Modo de preparo

Lave os camarões e tempere com sal, alho, pimenta e limão, deixe marinar. Pegue uma panela com água e cozinhe a mandioca em pedacinhos, com louro e a cebola em rodelas. Quando estiver mole, acrescente um vidro de leite de coco. Deixe esfriar um pouco e bata no liquidificador. Esquente o azeite de oliva, junte a cebola ralada e deixe dourar. Acrescente os camarões e frite. Adicione as 2 latas de pomarola, o cheiro-verde, o pimentão e deixe cozinhar por alguns minutos. Junte na mesma panela, a mandioca batida no liquidificador, outro vidro de leite de coco e o azeite de dendê. Deixe levantar fervura e está pronto.

Uma receita deliciosa e fácil de preparar, não é mesmo?

 

Festas típicas

– Festa das Etnias: Em Criciúma, no sul do Estado, é possível vivenciar um pouco de cada uma das etnias que colonizaram a cidade, entre elas a africana. O evento mantém as tradições étnicas e tem como principal objetivo promover as manifestações culturais e integrar os colonizadores da região, repassando sua história e tradições. Neste ano, a Festa das Etnias acontecerá entre os dias 10 e 15 de setembro, no Centro de Eventos José Ijair Conti, em Criciúma.

Distância do Hotel Internacional Gravatal até a cidade de Criciúma: 85 Km.

 

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a etnia africana em Santa Catarina? Venha se hospedar no Hotel Internacional Gravatal para desfrutar de tudo isso e muito mais! Faça a sua reserva!

 

Hotel Internacional Gravatal – Termas do Gravatal